quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Elegância estancieira

Reativei o blog por pressão da Evelyn Mayer de Almeida e a da Rafaela Nascimento.

---

Não sou exemplo pra quase nada, mas procuro me vestir de modo apresentável, até por conta de minha posição social e cultural, a dignidade da minha profissão, e para estar à altura de minha amada esposa, que, de tão elegante e distinta, tem até um blog sobre isso. Ora, a elegância masculina não deve ser buscada apenas em dias árduos de labuta no escritório. Também o lazer pede que o homem, se é um cavalheiro, não se vista como um moleque ou um "retardado por opção".

Abaixo, foto minha já antiga, com minha esposa e primeira filha, a Maria Antônia. O Bento ainda não havia nascido. O retrato (sim, retrato, pois sou "das antigas") foi tirado no lobby do hotel Four Points by Sheraton, em Montevideo, Uruguay, quando lá estávamos a passeio. Vejam que estou trajando uma camisa 100% algodão da Brooskfield argentina, que ganhei de minha mulher, Aline, bombachas, um cinto campeiro com motivos pampeanos e uma bota bem gaúcha por baixo. Pose de estancieiro! E como todo estancieiro, COM A FAMÍLIA, que, embora ainda pequena, vai se alargar MUITO com o tempo.


































4 comentários:

Rafaela disse...

Muito bom o texto para reativar o blog!

Como disse no facebook, homem também precisa ter estilo e não sair por ai como se fossem eternos meninos ou afeminados!

Giovani Rodrigues disse...

A diferença da bombacha para uma calça comum seria apenas aquele corte próximo à canela? Tenho uma calça igualzinha, só que sem o "rasgo".

Sempre admirei este tipo de meia que a Aline está usando. Deixa a mulher muito bonita, elegante e vistosa.

Diego Araújo disse...

Que bom sinal de que o blog está voltando. Abaixo o estilo moleque e efeminado que está tomando conta da população masculina. Parabéns ao senhor e sua esposa pela elegância e modéstia.

Rafael Vitola Brodbeck disse...

Giovani,

Obrigado pelo comentário.

Não, a bombacha se diferencia também pelo desenho. Ela é mais larga, mesmo as mais justas, que são para uso de ginetes, do que as calças comuns. E essa "largueza" se nota principalmente na região das coxas, afunilando no tornozelo. E a abertura a que te referiste é sempre com um botão.

Outrossim, a bombacha pode ter "favos" no traçado vertical lateral externo de cada perna. Nem todas têm isso. Eu mesmo, das várias bombachas que possuo, só uma com favos tenho.

No uso tradicional, as botas sempre vão por cima das bombachas. Assim, a pilcha oficial de solenidade, para festejos farroupilhas ou cívicos, ou para bailes oficiais em CTGs, ou a usada para competições de provas campeiras, ou mesmo para o dia-a-dia no campo.

Todavia, um uso mais contemporâneo, notadamente dando a indicação de que o homem do campo, sobretudo o patrão, o fazendeiro, usa das benesses da vida urbana, permite que se use a bota por baixo da bombacha, como se um calçado comum fosse. É um uso muito comum em grandes centros, fora do campo, mas com alguma conexão com a vida rural.